Composteira

15 jun 2008 | Seção: Dicas

Já que todos sabem da importância de separar seu lixo em casa, mostraremos um jeito fácil de transformar o lixo orgânico em adubo, o que pode ser feito numa composteira, no jardim da casa ou sacada ventilada do apartamento.

Para as duas situações existem dois tipos de composteira: o caixão neo-zelandês ou o balde perfurado.

Quem mora em casa pode reservar um canto sombreado do jardim para instalar o caixão neo-zelandês, da seguinte maneira: O caixão é montado com madeira (aquelas que você ou seu vizinho tem rolando na garagem podem ser úteis agora).

Ao pregar as paredes do caixão, deixe uma lacuna entre as tábuas para ventilação, conforme o desenho.

O fundo do caixão pode ser de tijolos, espaçados para ventilação, ou pode ter uma bandeja, para coletar o chorume, composto líquido, muito rico, que pode ser incorporado ao composto. Quem mora em apartamento pode utilizar um balde ou tonel, com vários furos nos lados e no fundo. O balde pode ser pendurado, para maior ventilação.

Se possível, uma portinha no fundo do balde torna mais fácil colocar o composto por cima e ir retirando no fundo, à medida que ele fica pronto, o que leva em torno de um mês e meio a dois meses.

Para preencher a composteira podemos colocar, em camadas, restos e cascas de verduras e frutas, palha, esterco de animais, serragem, terra, cinzas, sobras de podas, capinas ou grama cortada.

A fermentação do composto aquece ao ponto de destruir eventuais sementes de ervas indesejáveis.

O composto não pode ficar totalmente seco, nem totalmente encharcado, para que as bactérias possam fazer seu trabalho. Deve ser protegido da chuva, pois ela lavaria os nutrientes do composto, deixando só as fibras. A composteira bem montada não exala mau cheiro nem atrai moscas, o que se obtém com a experiência gradualmente adquirida.

Experimente fazer você mesmo, ou se associe com vizinhos e aproveite os benefícios da compostagem. As crianças adoram se integrar neste tipo de atividade, com isto elas serão cidadãs mais responsáveis, entendendo a nossa estreita relação com a natureza.

Tiago Eduardo – Movimento Roessler – Coisas pra se fazer antes de fugir para marte

Um comentário
Deixe um comentário: »

  1. Boa Tarde Eduardo.

    Interessante a informação.

    Venho desenvolvendo um trabalho de destinação adequada dos resíduos gerados na empresa e estou com um impasse na destinação do resíduo orgânico, que atualmente é enviado para aterro sanitário. Poderiamos desenvolver alguma idéia para destinação do mesmo através de uma composteira ou empresa que faça coleta deste tipo de material.

    Até mais